Junho: Eliminar o Comércio de Armas

Rezemos todos juntos pelos responsáveis das nações, para que se comprometam com a decisão de colocar fim ao comércio das armas, que causa tantas vítimas inocentes.

Papa Francisco – Junho 2017

É uma absurda contradição falar de paz, negociar a paz e, ao mesmo tempo, promover ou permitir o comércio de armas.
E sempre fica a dúvida: uma guerra aqui, outra guerra ali, será realmente uma guerra por problemas ou uma guerra comercial para vender essas armas no comércio ilegal e para enriquecer os comerciantes da morte?
Acabemos com esta situação. Rezemos todos juntos pelos responsáveis das nações, para que se comprometam decididamente em pôr fim ao comércio das armas, que provoca tantas vítimas inocentes.

COMUNICADO DE IMPRENSA

Francisco pede aos responsáveis das nações para acabar com o comércio de armas

O Vídeo do Papa, da Rede Mundial de Oração, apresenta sua edição de junho 2017, “Eliminar o comércio de armas”. O lançamento chega dias depois que Francisco recebeu o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e pediu-lhe para trabalhar pela paz mundial.

(Vaticano, 2 de junho de 2017). – O Vídeo do Papa lançado pela Rede Mundial de Oração do Papa, convertido em um clássico mês a mês, apresenta neste mês uma intenção que dará o que falar: “Eliminar o comércio de armas”.

“É uma absurda contradição falar de paz, negociar a paz e, ao mesmo tempo, promover ou permitir o comércio de armas”. Francisco inicia o vídeo desta maneira, fazendo alusão não só à problemática, mas também à hipocrisia dos governos que parecem não se comprometerem em solucionar este drama global.

Durante o vídeo, que relata esta dualidade entre firmar acordos de paz e continuar vendendo armas para sustentar guerras sem necessidades, o Papa chega a se perguntar se as guerras existentes são inclusive por problemas reais, “ou são guerras comerciais para vender armas no comércio ilegal e para enriquecer os comerciantes da morte?”.

Segundo um estudo do Instituto Internacional de Investigação para a Paz de Estocolmo (SIPRI), o comércio global de armas chegou ao seu nível máximo desde o final da Guerra Fria. O aumento foi ocasionado pelos conflitos no Oriente Médio, as tensões no Mar do Sul da China e a percepção da ameaça da Rússia aos seus vizinhos. A maioria das vendas de armas vem dos cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU: Estados Unidos, Rússia, China, França e Reino Unido. Entre os principais fabricantes também se encontram Alemanha, Espanha e Itália, enquanto que entre os principais compradores aparecem Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos e Turquia.

“O pedido do Papa este mês é contundente. União e compromisso, para pedir aos responsáveis das nações que se comprometam, com firme decisão, a acabar com o comércio de armas. Tantos interesses industriais, estratégicos e políticos opacos que causam vítimas inocentes em todo o mundo! Conhecemos as indústrias do nosso país que se beneficiam do comércio de armas?” disse enfatizando a intenção deste mês o Pe. Frédéric Fornos, SJ, Diretor Internacional da Rede Mundial de Oração do Papa (Apostolado da Oração) e do Movimento Eucarístico Jovem.

Credits

Pope’s Worldwide Prayer Network

Campaing title:

The Pope Video – June 2017: Eliminate arms trade

Idea and project coordination:

La Machi

Creative agency:

La Machi

Pope Francis shooting:

Centro Televisivo Vaticano

Production house:

AdHoc Producciones

Sound mixing & music:

Índigo Music Design

Benefactors

Benefactors:

Índigo Music Design

In collaboration with:

Centro Televisivo Vaticano

Media partners:

Getty Images Latam
Aleteia

Thanks to:

Blanquerna – Universitat Ramon Llull
Core Values
Católicos con acción
RedeemedOnline
Jóvenes Católicos
Biblia Ctólicos para Jóvenes
Lectionautas
El Observador de la Actualidad
Radio María España
PJ Latinoamericana
Catholic-Link
RIIAL

With the Society of Jesus

adminJunho: Eliminar o Comércio de Armas